• IV Jornadas da Solidariedade

    O Instituto de Estudios Maristas (IEM) da Universidad Pontificia de Salamanca inaugurou as IV Jornadas da Solidariedade e Voluntariado '200 e +... os tambores falam', em que estiveram presentes o vice-reitor de Relaciones Institucionales y Comunidad Universitaria, Jacinto Núñez Regodón; o provincial da província Mediterrânea, Ir. Juan Carlos Fuertes Mari; o provincial da província Compostela, Ir. Tomás Briongos Rica; a vicedecana da Faculdade de Educación, Begoña Díaz Rincón; o director do IEM, Fernando González Alonso, e o secretário do IEM, Jacinto Escudero Vidal.

    Foram apresentadas experiências de voluntariado que foram desenvolvidas durante os últimos anos pelos alunos da Faculdade, com o objetivo de sensibilizar, motivar e comprometer a comunidade universitária no sentido de uma sociedade mais justa, participativa e com valores. O título da jornada '200 e +' refere-se aos 200 anos da fundação dos Maristas no mundo. Por outro lado, 'Los tambores hablan' (‘Os tambores falam’) representa a concretização de um projeto solidário da ONGD SED e vários colaboradores artísticos comprometidos com África.

    A inauguração das jornadas contou com a presença do vice-reitor de Relaciones Institucionales y Comunidad Universitaria, Jacinto Núñez Regodón acompanhado pelo provincial da província Mediterrânea, Ir. Juan Carlos Fuertes Mari e o provincial da província Compostela, Ir. Tomás Briongos Rica, a vice-decana da Faculdade de Educación, Begoña Díaz Rincón, o director do IEM, Fernando González Alonso, e o secretário do IEM, Jacinto Escudero Vidal.

    O vice-reitor de Relaciones Institucionales y Comunidad Universitaria quis dar os parabéns aos Irmãos Maristas pelos 200 anos do seu trabalho sublinhando que "dizer Marista evoca a ideia da entrega e do serviço a favor de uma educação integral". Também agradeceu a estreita relação institucional com os Maristas e destacou o papel do IEM e dos alunos da Faculdade de Educación "porque têm a vocação de professores (do primeiro ciclo) e sobressaem na causa do voluntariado". Para o vice-reitor o substantivo "universidade" tem contida dentro de si a ideia de compromisso "que vai além do aprofundamento na própria área de conhecimento. O conhecimento tem que passar da cabeça para o coração, da verdade para a bondade, num movimento de ida e volta em que surge um projeto, como os projetos solidários".

    O provincial de Mediterrânea sublinhou a solidariedade e o voluntariado no mundo Marista à luz do bicentenário como "uma homenagem a todos os que no seu dia-a-dia dedicam a sua vida aos outros como professores ou voluntários e os que descobrem que há muitas pessoas que não estão bem". Fuertes Mari disse que "a educação e a solidariedade vão de mão dada porque querem a mesma coisa, que é ajudar o outro a crescer" e para concluir animou os estudantes "a dar o melhor de si nas iniciativas solidárias".

    Por seu lado, o Provincial de Compostela destacou "a importância que tem a relação humana e profissional para o desenvolvimento e a felicidade da pessoa. Falamos de uma formação que procura estabelecer laços com outras pessoas que depois de ter vivido experiências em que se entregaram com solidariedade, reconheceram que também receberam muito. Assim é a entrega do educador e do voluntário (...). A vida devolve-nos muito mais do que demos". E, aludindo às palavras de Marcelino Champagnat, afirmou que "a boa educação das crianças pede que as amemos e as amemos todas que forma igual" e animou o mundo educativo a "saber estabelecer redes de colaboração com a sociedade para que todos estejam implicados na educação", concluiu.

    A vice-decana da Faculdade de Educación expressou a intenção da faculdade de “potenciar e enriquecer a formação com iniciativas que contribuam para a sensibilização, a participação e a consciencialização relativamente aos valores humanos e à solidariedade para com os outros (...). A experiência do voluntariado na Universidade em diferentes lugares do mundo pressupõe um antes e um depois na atitude com que enfrentamos o mundo e a realidade heterogénea e plural em que vivemos".

    O secretário do IEM explicou a primeira ação de voluntariado dos alunos da faculdade no Ghana e que "atualmente já passaram pelo Peru, a Roménia, a selva do Equador e, este ano, a Colômbia", sublinhando que acha que a linha de voluntariado marcada vai ao encontro ao que disse o Papa Francisco sobre a necessidade de "trabalhar nas periferias, onde o melhor que as crianças têm são o seu sorriso, a sua alegria, a vontade de estudar e o facto que para eles ir à escola é um prémio; quando vamos às periferias encontra-se o primeiro sentido da vida que é ser feliz e procurar a felicidade interior".

    O provincial de Mediterrânea também apresentou a sua conferência 'Solidariedade e voluntariado universitário no mundo Marista à luz do Bicentenário' em que se referiu à experiência no voluntariado que "não só acrescenta algo no currículo mas também enriquece a vida, porque apresenta-no-la tal e qual como ela é. Quando entrarmos em contacto direto com a realidade, enchemos a nossa vida de experiência". Para o Ir. Juan Carlos Fuertes Mari a fonte da inovação educativa não são os gurus-pedagogos "mas sim as nossas crianças porque não podemos continuar a fazer o que se fazia há 10 anos, dado que as crianças já não são iguais". O Irmão concluiu a sua intervenção apresentando o encontro mundial que teve lugar em Medellin e dizendo que "nós, Maristas, somos profetas da dignidade humana e deslocar-se é um dos atributos mais importantes para nos darmos conta do que vivemos (...) Depois de 200 anos é o momento de começar de novo: é sempre bom começar de novo porque o importante é que Deus nos empurra, como numa viagem rumo ao mais importante da nossa vida".

    Durante dois dias falou-se de experiências de voluntariado em Bucareste, nas Honduras e na selva do Peru, da experiência na ONU em Genebra, dos monges do Nepal, do Caminho de Santiago ou do que se viveu no Equador.

    As jornadas são de carácter bianual, e desenvolvem-se há oito anos com vários objetivos fundamentais: partilhar as diferentes experiências de voluntariado e solidariedade que os alunos da Faculdade de Educación realizaram nos dois últimos anos em vários países. E celebrar os 200 anos da Fundação dos Irmãos Maristas no mundo ao serviço de crianças e jovens, com o compromisso de todos os seus membros.

    Também será apresentado o projeto solidário 'Los tambores hablan' da ONGD SED, a favor da Educação em África, através da edição do disco-livro ‘Los tambores hablan‘ em que participam desinteressadamente mais de 20 artistas espanhóis. Neste sentido, amanhã, às 11h45, o diretor Nacional da ONGD SED, Ir. Javier Salazar, apresentará o projeto e o disco-livro ‘Los tambores hablan’. Posteriormente, o compositor e cantautor Fran Fernández (franfernandez.com), que participa no disco-livro, será encarregado de dar voz e música através das suas canções, para encerrar as jornadas.
    Mais informação sobre 'Los tambores hablan':

    Disco-Libro 'Los tambores hablan'
    Proyecto Solidario 'Los tambores hablan'

    Partilha a notícia

    Últimas notícias


    Mensagem do Ir. Ernesto

    O Superior Geral do Instituto Maris...

    [Ler +]


    Beato Ir. Henri Vergès

    Na dia da festa da Imaculada Concei...

    [Ler +]


    Líderes Maristas para a Missão

    Tudo começou na Holanda h...

    [Ler +]